Selfie ou autorretrato

A moda do retrato “selfie” popularizou-se nos últimos anos no mundo todo. Mas será que “selfie” é o termo correto para a utilização no vocabulário português do Brasil?

Em referência à origem, “selfie” (do inglês self corresponde a si mesmo, si próprio). Já a forma portuguesa para o retrato reflexivo é “autorretrato” – termo este que passou por reforma ortográfica e é grafado dessa forma.

Na mídia impressa, é muito comum aparecer expressões como: “a moda do autorretrato”; “os celulares e os autorretratos”. Porém, a palavra “selfie” ganha mais curtidas e é muito mais fácil de pronunciar.

Pensando nos “empréstimos linguísticos”, nos “estrangeirismos”, não se pode afirmar que tudo vem da língua inglesa. Deve-se, pois, haver a busca pela Etimologia (estudo da origem de uma palavra).

Há alguns dias, um nobre professor dizia-se chateado por ter ouvido a palavra “adicto” como sinônimo de “viciado”. “É um estrangeirismo bobo!” – esbravejava o mestre.

Pela intensa fama da língua inglesa, é natural estabelecermos a relação entre “addicted” (forma inglesa) e “adicto” (forma portuguesa).

No entanto, nas referências etimológicas do próprio Houaiss, sabe-se que a palavra “adicto” – totalmente incorporado ao nosso Vocabulário Oficial e com registros desde o século XVI – tem sua origem no Latim – “addictus”.

Ademais, o sujeito adicto é o que se apega ou se afeiçoa; é o indivíduo que tem dependência química de determinada substância. Usar o termo, pois, não ofende e tem registro.

Por fim, a Língua é do povo; a escolha lexical depende da aceitação, da época, das modas. Tudo com bom-senso e objetividade cooperará para a comunicação eficiente (por isso a luz da Gramática).

O prejuízo comunicacional ocorre justamente com a não socialização; por isso, lutarei sempre para que se perpetue o respeito entre “escritor” e “leitor”, entre “falante” e “ouvinte”.
Fonte: Revista Exame – Carreiras



Deixe seu comentário